Cascavel, Sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Cartas

Enviada por: Alexandre Macorin de Lima, Corregedor da Polícia Civil do Paraná
Postada em 27/10/2017

Prezado editor, sou seu leitor e fã de seu estilo de texto, e gostaria de elogiar de forma especial a edição 2.112 em que traz à baila a ascensão da cidade de Maringá. Ao informar, o texto vai além da atividade fim do jornalismo e nos leva à reflexão e por que não, a ponderação nos debates bairristas tão comuns em torno de questões como, por exemplo, o aeroporto regional. Guardar e reler as edições pretéritas do seu informativo pode ser uma aula de história da região oeste, mas também uma História do Futuro, aliás este é o título do último livro da jornalista Mirian Leitão, em que trata exatamente de saídas possíveis para a crise do Brasil”.

 

Enviada por: Sara Ferneda Messias
Postada em 04/10/2017

Parabéns pela matéria Vale da Tilápia. Muito criativa, solta, com conteúdo e atrativa para leitura. Gosto deste tipo de texto.

Parabéns!!!

 

Enviada por: Talio de Paiva Esmeraldo
Postada em 03/10/2017

Sobre o Editorial de 03/10/2017

Concordo em termos, se estivéssemos em uma sociedade com equilíbrio entre esquerda e direita, o que não ocorre, são anos de doutrinação esquerdista e de ideologia de gênero sendo implantada nas escolas à revelia dos pais. A Nova Base Curricular a ser imposta pelo MEC contra disposição do Congresso Nacional mostra que, nesse momento, os pais que não querem seus filhos idiotizados pelo Estado, afinal somos, segundo consta, o terceiro país mais imbecilizado do mundo, não tem escola sem partido a não ser as militares, e qual o problema das escolas militares, tão na moda é tão educacionalmente eficientes nos idos 50 e 60?

Enviada por: Jorge Sonda, economista, diretor do Instituto DataSonda
Postada em 27/09/2017

    Estou no campo político e ideológico oposto ao de Aécio. Penso que, ao fomentar o golpe, acabou devorado pelo próprio mostrengo que ajudou a criar. Além do que são graves e muito fortes as acusações que recaem sobre ele. No entanto, discordo dessa decisão obtusa do STF, que o afastou do Senado Federal. Só esta Casa poderia fazê-lo. Um poder que não tem a legitimidade do voto não pode usurpar dessa maneira a soberania popular. Digo isso não por compaixão ou solidariedade para com a figura nefasta do senador mineiro, mas porque a judicialização da política causou e tem causado um verdadeiro descalabro político-institucional, econômico e social no país. Ganham com isso apenas o grande capital financeiro, os interesses forâneos e o fascismo. Perdem a democracia, a economia nacional produtiva e, principalmente, a massa trabalhadora. Um retrocesso civilizacional gigantesco está em marcha acelerada, com participação destacada da burocracia judiciária, que está muito longe de ser a salvadora da pátria. Fale o que quiser sobre a política, inclusive muita bobagem, mas não há saída fora dela.

Enviada por: Delair Borges
Postada em 28/08/2017

É comum jornalistas receberem congratulações por publicarem algo. Mas eu o parabenizo veementemente por não publicar. Bom senso. Foi isso que teve. E empatia - isso que costuma faltar em muitos  profissionais da área. E a puxada de orelha foi a cereja dp bolo!

Enviada por: Jonatan Schallenberger
Postada em 03/07/2017

Prezado amigo, bom dia, como costumo ouvir seus comentários na rádio, gostaria de compartilhar um possível problema com os pais que tem seus filhos nos CMEIs/Cascavel. Ontem tivemos a reunião de pais com professores, para minha surpresa, a prefeitura está interessada em retirar as crianças de 4 anos dos CMEI's e passá-los a escola municipal. O argumento utilizado por aquela entidade é de que faltam vagas nos CMEI's e sobram vagas na escola pública municipal. Agora analisemos a questão, a escola pública municipal trabalha em horário integral?? E sobre a qualidade do ensino nem se fala, os comentários na cidade não são nada favoráveis, muito diferente do conceito dos CMEI's! Se isso vier a se concretizar onde deixarei meu dependente no contraturno??? Então gostaria de dizer que estou muito preocupado com essa possibilidade, fizemos um planejamento e contamos com o 4º ano no cmei, estudo de qualidade, local onde nosso filho se adaptou muito bem, tem disposição para ir a escolhinha pois vive em um ambiente condizente com a sua faixa etária. Não sei se consegue lembrar quando começamos o ensino fundamental na 1ª série, a dificuldade, da adaptação, das matérias, do novo ambiente, do convívio com os colegas com idades maiores (muitas vezes não havia convívio, mas problemas) então acredito que os maiores prejudicados serão as crianças, indo para um ambiente muito inóspito para a sua pequena idade. Por favor, analise esta questão. Obrigado.

Enviada por: Rodrigo Tesser, assinante Pitoco
Postada em 30/05/2017

“O Fernando Gabeira não foi trocado pelo embaixador. O Fernando Gabeira sequestrou o embaixador. Os trocados foram muitos, entre eles o José Dirceu. Mas não o Gabeira”.
 

Enviada por: Marcelo Navarro | Advogado - OAB PR 37.418
Postada em 30/05/2017


“A Constituição traz 134 direitos e 134 deveres uma vez que a todo direito corresponde um dever e vice versa. Não podemos achar que, pela escolha semântica dos constituintes em utilizar mais largamente a palavra “direito”, não se vai ter uma contrapartida do cidadão”.
 

 

Enviada por: Marcelo Navarro | Advogado - OAB PR 37.418
Postada em 26/05/2017

Na matéria The end “Nenhum direito a menos”, bradam os quero-queros. Se depender da Constituição, fi quem tranquilos. Lá a palavra “direito” está grafada 130 vezes. A palavra “dever”, aparece quatro vezes.
 
Equivoca-se este entendimento. A Constituição traz 134 direitos e 134 deveres uma vez que  a todo direito corresponde um dever e vice versa. Não podemos achar que, pela escolha semântica dos constituintes em utilizar mais largamente a palavra "direito", não se vai ter uma contrapartida do cidadão. 

Enviada por: celso tissiani
Postada em 20/11/2016
 Na materia: Longa cauda... o Edson Vasconcelos diz:  O caminho é ramificar para o Mato Grosso e conceder o trecho inteiro até o Porto. Não seria o caso de quebrar o gargalo de Guarapuava para frente antes, já que uma carga de frango demora uma semana para chegar ao porto?
Enviada por: ARNILDO CARLOS PERUFFO
Postada em 07/11/2016
 Boa noite Jairo,

Você deve saber assino o Pitoco há anos...

Sempre leio até as propagandas, mas  o do dia 04-11 nº 2025 em especial,  chamou muito a atenção, pois tudo esta muito bom...perfeito.

 

Não pude  deixar passar em branco.

 

Prefeito de mãos atadas...  ( Sr. prefeito não esqueça da Joane)

Editorial...

Falou & Disse..

Ação Relâmpago...

Ecumenismo Jornalístico...

Enfim como já falei...  TUDO.

Ocupe-se o item sete...esta frase deveria estar na direção de todos os colégios do Brasil, e na cabeça de todo o bom mestre.

PARABÉNS!!!

Enviada por: Joel Pedrine
Postada em 22/09/2016

AO PITOCO FAKE!

ALÔ, ALÔ, TERRA, CASCAVEL!

Caro Pitoco. Sou do planeta Marte, meu nome é Kaskav Noburaku Cvotamal, e como a maioria dos marcianos, leitor assíduo do Pitoco. Não sei se sabia, mas todos os marcianos tem rabo, e quando um cidadão “apronta” alguma aqui, o castigo é ficar preso pelo rabo a um ou mais “contraventores”, por 1 ou mais dias, dependendo da contravenção. Então, imagine a alegria de nosso povo, quando chega o “sem rabo preso com ninguém”. É meio que um grito com gostinho de liberdade, ao estilo “isso pode”.

Lendo a matéria de ontem, sob o título «O panfletão dos Destemidos», que acusa dois candidatos a prefeito, iniciou um debate na sala de aula que se estendeu pelo planeta, e resolvemos pedir a ajuda de vocês.

Pelo que lemos no Pitoco, um professor, tentou resolver a questão dizendo: “Ao invés de questionarem a regularidade ou não do referido jornal, venham a público esclarecer se os fatos divulgados pelo jornal são verdadeiros ou não. Não prestar tais esclarecimentos é confessar que tais fatos são verdadeiros e é inútil tentar escondê-los”.

Aqui em Marte, todo cidadão aprende cedo a conhecer as leis que regem uma cidade ou um país, e é o professor que tem sobre sí a incumbência de ensinar estes futuros cidadãos. Se ele pleiteia um cargo político, como governar sobre uma cidade, deve dar o exemplo a todos cumprindo as leis, pois se assim não o fizer, nós marcianos, entendemos que ele mergulhará a cidade num caos desgovernado, já que não pode esperar que os cidadãos façam o que ele não faz. Então perguntamos aos nossos amigos terráqueos Cascavelenses. Estamos errados em pensar assim?

O professor aí da cidade de vocês, está ensinando que um veículo de informação pode circular sem cumprir as leis para tal. Em nosso planeta, seria o mesmo que dizer que pouco importa se o professor tem ou não a formação necessária para dar aulas, desde que o que ele ensina, creia estar certo. Então imaginamos o que seria de nós, se como povo, adotássemos esta premissa para médicos, advogados, juízes, etc, etc, etc. Não seria o caos? Estamos errados em pensar assim?

Nos parece que o planeta de vocês, e particularmente o país que vocês moram, estão num estado de corrupção que assusta toda a galáxia, exatamente porque os líderes de vocês, não respeitam as leis em que deveriam ser exemplos. Então, acreditamos que nosso planeta logo estaria num estado de corrupção igual ao de vocês, se tivéssemos alguém com tal pensamento no poder. Estamos errados em pensar assim?

O panfleto que o Pitoco comenta, foi apreendido, porque é ilegal, e é apócrifo. Bom, não sei no seu planeta, mas apócrifo para nós, é quando tanto OS AUTORES, quanto AS INFORMAÇÕES NÃO SÃO CONFIÁVEIS, e então aqui em Marte ninguém precisa se defender deste tipo de acusação, já que uma acusação feita de forma ilegal, não pode ser “legalizada”. Na verdade, são punidos os que levantam estas acusações. Estamos errados em pensar assim? O jornal foi distribuído, “protegido pelo manto escuro da madrugada”, mas se o autor e as informações fossem verídicas, porque fariam desta forma? Se algo parecido acontecesse aqui, a resposta para nós seria simples. Os autores não queriam ser descobertos, porque estariam cientes de que estão agindo ilegalmente, isto tornaria o ato ainda mais sujo, UM CRIME, e com dolo. E nem sei qual seria a sentença, mas certamente seriam muitos rabos amarrados e por muitos e muitos dias. ESTAMOS ERRADOS EM PENSAR DESTA FORMA?

Querido editor do Pitoco, poderia fazer chegar esta nossa pergunta aos nossos amigos terráqueos Cascavelenses?

Joel Pedrine
Londrina / PR