Cascavel, Sexta-feira, 10 de julho de 2020

Leia mais

Vandalismo em cartaz

Intolerância é marca na exposição de outdoors em Cascavel, desde sempre...
Postado em 28/06/2020

Outdoors do “Lula livre” e de Bolsonaro voltaram a frequentar o cenário em Cascavel no mês de junho.

Os cartazes do presidente são mais recentes. Na mensagem, bolsonaristas de um grupo denominado “Direita Cascavel” pedem respeito aos 56 milhões de votos obtidos pelo 17 em 18. O outdoor dos lulistas celebrava a libertação do ex-presidente.

“A esquerda não respeita a democracia. É a segunda vez que estragam”, disse o empresário Jadir Saraiva de Rezende, da “Direita Cascavel”. A foto mostra o que restou do outdoor bolsonarista. Os cartazes com Lula também foram vandalizados em vários pontos de Cascavel.

É uma prática antiga na cidade, que demonstra a intolerância com o contraditório. Trata-se do vandalismo em cartaz, filme repetido e maratonado por aqui.

Segundo a teoria da ferradura, a rivalidade entre grupos aparentemente opostos retroalimenta os líderes, e ambos se beneficiam ao reafirmarem o discurso antagonista em suas bolhas ideológicas. Neste cenário, Lula livre reforça a polarização e, em alguma medida, reafirma o discurso bolsonarista.

Os estrategistas de ambos os grupos, lulistas e bolsonaristas, preferem um novo segundo turno de enfrentamento entre eles, colocando o eleitor entre a cruz e a espada. Para esse propósito, reforçar a polarização, como se todos os brasileiros fossem obrigados a se alinhar nas setas ideológicas (direita ou esquerda), é a opção estratégica no marketing político de lulistas e bolsonaristas.