Cascavel, Terça-feira, 03 de agosto de 2021

Leia mais

Projeto social da Estrada abre caminhos no handebol

Postado em 15/07/2011
 
 
Pais enfrentam a dor da perda do filho apoiando jovens talentos
 
 Perder um filho adolescente é uma dor difícil de ser superada. O drama, entretanto, foi enfrentado com criatividade e determinação pelo casal Cássio Henrique Stringari e Juliane Zimmermann Gomes, privados do filho Guilherme Zimmermann Gomes Stringari, o “Gui”, vitimado aos 16 anos por uma forma aguda de leucemia. 
 
O rapaz era atleta de handebol e sua morte acabou levando os pais a criarem a Associação Camisa 5, que atende 60 crianças nos colégios estaduais Olinda Truffa de Carvalho (Faculdade) e XIV de Novembro. Com quatro meses de atividades, a Camisa 5 já revelou dois talentos, que estão vestindo a camisa da seleção cascavelense de handebol e ganharam bolsa de estudos integral no Colégio Marista, onde Guilherme estudava.
 
“Com certeza, se não tivéssemos abraçado o projeto desta Associação, não sei se conseguiria suportar a dor da perda do meu filho. Vejo um pouco do Gui em cada uma destas crianças e jovens e sinto que estamos abrindo uma porta para todos eles. Basta que saibam seguir o caminho correto”, explica a mãe, que não se descuida do segundo filho, Cássio Júnior, de 14 anos. 
 
Estrada
 
O projeto conta com apoio financeiro da empresa da família, a Estrada Distribuidora de Combustíveis. À frente, está o treinador Cezar Roberto Casagrande. “Sinto que estamos realizando o sonho de todos os envolvidos, não só dos jovens atletas. Eu antes já caçava alguns talentos e procurava encaminhar, mas agora a coisa está bem melhor organizada”, explica Casagrande. 
 
Para integrar a Associação, os atletas precisam ter frequência e bons resultados na escola. Juliane faz um acompanhamento pessoal dos boletins. “Olho todos e quando é o caso converso com os pais, pois esta é mesmo uma imposição positiva do projeto”, ressalta ela.
 
Para o empresário Cássio Henrique Stringari, “viabilizar esta atenção aos jovens dá um retorno emocional fantástico, principalmente porque o handebol era o esporte do Guilherme, que integrava a Seleção de Cascavel”.  Segundo ele, “a preocupação com os aspectos sociais e a sustentabilidade motivam também outras ações da Estrada Distribuidora”.
 
 Intenso e responsável
 
Guiilherme Zimmermann Gomes Stringari sempre foi um menino muito especial. Vivia de forma intensa e com responsabilidade. Era atleta de handebol do Marista e das seleções de Cascavel e Paranaense. Quando estava internado recebeu a visita de uma mãe com o filho, curado de leucemia. Nasceu aí a ideia de, após se curar, ajudar pacientes de leucemia, com testemunhos e apoio afetivo.
 
Mas a doença foi fulminante e Gui faleceu alguns dias depois. A família, então, criou a Associação Camisa 5, buscado preencher o tempo das crianças com uma atividade saudável e sem os riscos oferecidos pelas ruas. “A dor continua muito grande, mas agora temos também a satisfação de ver essas 60 crianças motivadas e bem encaminhadas”, finaliza Juliane.