Cascavel, Quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Leia mais

Quer comprar morango?

Même com vendedor de frutas viraliza no zap-zap; conheça Aristeu Garcia, o “piá do morango”
Postado em 21/10/2019

A vida nunca foi fácil para o menino Aristeu. Nascido de uma família de pequenos agricultores em Três Barras do Paraná, ele perdeu a mãe para um câncer e o pai logo em seguida. Órfão ainda muito jovem, ficou aos cuidados de terceiros e logo conheceu a rua da amargura. Estava praticamente abandonado à própria sorte quando foi contratado para fazer uns bicos vendendo frutas para o comerciante Erasmo dos Santos, o “Abacaxi”. A rua havia lhe feito muito mal. Aristeu usava crack e consumia bebidas alcoólicas.

Mas Abacaxi decidiu investir no menino, afinal, apesar dos problemas, era esforçado no trabalho. “Um dia tirei ele da rua, levei para minha casa no Parque São Paulo, dei um banho no menino e disse: - Você agora só tem eu. Se você não parar com a bebida e a pedra, não terá mais nem eu”.

O recado duro bateu forte no “piá do morango”. Além do apego com Abacaxi, o menino também tinha outra paixão: o aparelho celular do patrão que o adotou. Então Abacaxi deu a cartada final: “Se você tomar jeito lhe presenteio com meu celular”. Era um belo presente. Trata-se de um smartphone de alto padrão, um S9 da Samsung, com tela infinita e todos os recursos dos top de linha. Aristeu venceu o vício, ganhou o celular e faz três anos que está “limpo”, como se diz no jargão da rua.

Não foi uma caminhada fácil. Quando o editor do Pitoco comunicou em uma rede social que estaria produzindo uma reportagem sobre o menino do morango, surgiram vários relatos de agressividade verbal do jovem. “Ele de fato tinha esse comportamento com mais frequência, agora é mais raro”, diz Abacaxi, o tutor, que tem outros quatro filhos.

“Filho do véio da Havan”

 - A fisionomia muito característica do menino do morango e eventuais surtos de mau humor lhe renderam apelidos e os 15 minutos de fama. Alguém colocou uma foto do rapaz no WhatsApp, e a imagem logo viralizou.

 -  O próprio Aristeu Garcia recebeu a imagem, mas não se incomoda com a zoação da galera. “Ele é mais conhecido como filho do véio da Havan”, diz Abacaxi, descontraindo a conversa. “Quem dera...”, responde o menino agora célebre, já oferecendo outra bandeja pelo vidro do carro que parou no semáforo: “Quer comprar morango?