Cascavel, Quinta-feira, 05 de dezembro de 2019

Leia mais

Sem receber conservantes para os tecidos oculares, Bancos de Olhos suspendem a captação de córneas

Postado em 19/09/2019

Por falta do conservante de tecido ocular, que é fornecido pela Secretaria de Saúde do Estado, o Banco de Olhos de Cascavel, assim como o Banco de Maringá, suspendeu ontem, temporariamente, o processo de abordagem a potenciais doadores e a captação de córneas em Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Pato Branco, Medianeira, Toledo e Guarapuava.

Líder entre as três instituições  paranaenses do gênero, com média de 40 doações mensais, este  Banco de Olhos é mantido voluntariamente pelo Hospital de Olhos de Cascavel. A ele compete receber , analisar e preservar os tecidos, colocando-os à disposição da Secretaria Estadual da Saúde, a quem cabe administrar a fila de espera. Sem os conservantes para sua preservação, que deveriam ser fornecidos pelo Sistema Estadual de Transplantes, a captação teve de ser suspensa.

Em nota oficial, a Responsável Técnica do Banco de Olhos de Cascavel, médica oftalmologista Selma Miyazaki lamenta a interrupção e adianta que tão logo o Governo do Estado volte a fornecer os conservantes, as atividades de captação serão retomadas.  Veja a íntegra:

 

Nota Oficial

"O Banco de Olhos de Cascavel lamenta informar à população do Oeste, Sudoeste  e Centro Paranaense  que, por razões alheias à sua vontade, paralisou temporariamente, a partir desta quarta-feira, 18, as atividades de abordagem e captação de tecidos oculares nas cidades de Cascavel, Foz do Iguaçu, Medianeira, Pato Branco, Francisco Beltrão, Toledo e Guarapuava. 

A medida deve-se ao fato de que não mais dispomos dos necessários conservantes de tecidos oculares, cujo fornecimento, de acordo com Circular 005-2019 SET-SGS-SESA/PR de 03 de abril de 2019, compete à Secretaria Estadual de Saúde. Lamentando que a interrupção possa resultar em retorno das longas filas de espera por transplantes, manifestamos nossa esperança numa breve solução, com o retorno de disponibilização dos insumos indispensáveis à preservação dos tecidos oculares disponibilizados para a população", diz a nota, assinada pela médica Selma Miyazaki.