Cascavel, Sábado, 17 de novembro de 2018

Leia mais

De escola sem teto a...

... Escola com telhado energizado pelo sol; o salto do “patinho feio” da educação
Postado em 06/09/2018

A comunidade escolar da Gladis Tibola, inicialmente assentada sobre o que sobrou do Colégio Washington Luiz, na região dos quartéis do Exército, conheceu de perto uma lastimável variante para a expressão “sem teto”. Em determinado momento, a comunidade acreditou que a transferência do Washington para um endereço improvisado na rua Erechim seria um bom caminho.
A promessa era demolir o Washington e erigir ali a nova escola Tibola e um CMEI. Dali a pouco o pessoal da escola sem teto amontoada na Erechim soube que o terreno que lhes fora prometido foi doado para uma delegacia.
A escola não aceitou a decisão e confrontou o então prefeito Edgar Bueno e o secretário Valdecir Nath. Perderam mais esta batalha. “Ameaçaram até fechar a escola se a gente insistisse na sede própria”, relatou a diretora da época, Ana Paula Koren.
A escola Tibola permanecia sem teto, sem solução, improvisada em um prédio inadequado.

A nova escola

A concepção arquitetônica do projeto atende até 656 crianças de 4 a 10 anos. São onze salas de aula, salas múltiplo uso, biblioteca, laboratórios, auditório para 166 lugares, ginásio poliesportivo, refeitório para 223 crianças, passarelas cobertas, horta e a utilização de energia solar combinada com cisterna para reaproveitamento da água da chuva. Mas, será preciso mais paciência. Agora que a obra vai à licitação. Na boa hipótese, o prédio fica pronto no segundo semestre de 2019.

Urnas milagrosas

Chegaram as eleições de 2016. Era o momento para juntar a comunidade escolar e assegurar um teto que pudesse ser chamado de Gladis Tibola. Foram então obtidos os compromissos dos principais postulantes ao Paço.

Somente agora, após muitos anos desprovida de teto, a comunidade vislumbra obter sua própria escola. E que escola. O obstáculo de área naquela região foi removido. O Paço decidiu usar o terreno do município que – segundo sentença judicial -  vinha sendo usado indevidamente pela Transpaula, fazia décadas.

Ali, entre o Wilson Joffre e o Restaurante Popular, vai nascer a nova escola Gladis Tibola, em um projeto gigante de R$ 8 milhões. Entre os encantos do novo prédio, está a sustentabilidade: será a primeira escola de Cascavel com energia solar.

Nada mal, de escola sem teto para um teto energizado sobre um prédio novíssimo de 3,4 mil metros quadrados de área construída.