Cascavel, Quarta-feira, 19 de junho de 2019

Cartas

Enviada por: Juliana Viana
Postada em 15/04/2013
Parabéns, Jairo, pela matéria sobre o caso Rafaela! Os castigos físicos permanecem como tabu no nosso país, e poucos abordam este tema com a mesma coragem e lucidez com que você abordou! É mais do que hora de banir da nossa sociedade esta prática covarde de bater em crianças em nome de uma "pseudo educação". Bater só ensina que violência é caminho para solução de conflitos, e mais cedo ou mais tarde esta violência acaba se voltando contra todos nós! Obrigada por contribuir de forma tão eloquente para tentarmos colocar um fim neste conceito arcaico de "educação". Juliana
Enviada por: Milton Inacio
Postada em 19/03/2013
Se vocês pensam que o Massa, o Alonso, o Schumacher e o Hamilton são corajosos, vocês não conhecem o Pitoco! Se vocês acham que o Valentino Rossi, Alexandre Barros, Mike Tyson e o George Foreman são corajosos, Vocês não conhecem o Pitoco! Se vocês imaginam que os policiais do BOPE, Rota Comando, Força Tarefa, Indiana Jones, Batman e Robin, Mulher Maravilha, Ultraman, Power Rangers, National Kid, Changeman, Jaspion, Jiraya, Thundercats e os garotinhos do Goonies são corajosos, não viram nada... Vocês REALMENTE não conhecem o Pitoco! Isto sim é que é coragem! Com vocês... no Pitoco...!!!!  
Enviada por: Eduardo Sciarra
Postada em 30/01/2013
 “Caro Pitoco, Parabéns pelos 16 anos de atuação como porta-voz dos interesses e das reivindicações do povo cascavelense e de todo o Oeste do Paraná. Jornalismo sério, dedicado e focado na verdade (com uma boa dose de opinião crítica) faz o diferencial daqueles profissionais que se destacam numa sociedade. É o seu caso. Grande abraço” -  Deputado Federal Eduardo Sciarra
 
 
 
Enviada por: Vagner Rossi
Postada em 25/10/2012
Estou intrigado com o que vem acontecendo em nossa cidade. Gostaria de compartilhar com vocês.. que tem poder de expor as opiniões.
 
Sei da sua imparcialidade em relação aos prefeituráveis,  que assim como eu, quer apenas o melhor para a cidade. Não tenho preferência a candidato algum, aliás, lamento por falta de opções melhores de escolha, visto que estamos diante de uma cidade que tem tudo para alavancar no cenário nacional, mas continua sempre com espírito de interior.
 
Algumas coisas são conflitantes, e eu receio que a população entenda de forma errônea, imaginando ser positivo, o que em sua essência o é.
 
 Muita coisa está sendo feita e inaugurada atualmente e isso é ótimo, porém o momento em que isso está acontecendo me preocupa. Zoológico reformado, parque ambiental, restaurante popular, Maquinas trabalhando, asfalto, inserções, rotatórias, UPS, ruas pintadas etc. Não é isso que estamos acostumados a ver o restante do ano, por isso confesso que fico incomodado, enquanto cidadão.
 
Penso que devesse abordar alguma coisa sobre isso, esta aí a sugestão. Abaixo uma breve sátira. rsrs
 
E o milagre da transformação vem acontecendo a todo vapor em Cascavel, parece mágica. Você vai trabalhar, quando volta tem uma rotatória zerada no meio da avenida. É o progresso chegando de avião, ou melhor, de avião não.. via Sedex. 
 
E se tivéssemos eleições a cada seis meses? Teoricamente, diante da experiência fatídica, seria a solução de todos os nossos problemas.
 
Aproveito para parabenizar o trabalho de vocês, a lisura e pelas boas reportagens apresentadas, acima de tudo, objetivas.
 
Forte abraço,
 
Vagner Rossi
Enviada por: Paulo Henrique
Postada em 22/10/2012
 " Quanto mais, se amassa o pão, mais ele cresce"- o caso do Edgar Bueno- quanto mais ele ataca o Lemos com mentiras, mais o Lemos cresce!!- sou aluno do Professor Lemos- Colégio Estadual Cataratas.
Obrigado

Paulo Henrique
Enviada por: Heroldo Secco Junior
Postada em 22/10/2012
 Muito cedo fui iniciado no debate político e sempre procurei votar em idéias, em valores e em histórias de vida que fossem ao encontro de minhas expectativas como cidadão. Algumas vezes, pela inexperiência pessoal ou  pelo marketing das campanhas fui conduzido a votar em verdadeiros falastrões que só trouxeram desapontamento, prejuízos a sociedade e desânimo para com a política. Mas aprendi com estes revezes a ser mais crítico, pesquisar mais e "ligar os pontos" antes de escolher em quem votar. Nunca votei na "opção menos pior" como muitos insistem em fazer e também nunca votei nulo pois até hoje conseguia enxergar algo de positivo nas opções postas a escolha. Contudo, na atual eleição para Prefeito de Cascavel não encontro em nenhuma das opções seriedade, correição e respeito a coisa pública. Vejo apenas defenestração do opositor, marketing sentimental e assistencialismo. Então, antes que o eleito (afinal na Democracia não existem vencedores ou perdedores) use no futuro meu voto como refúgio para suas ações ("fui escolhido pela maioria, por x quantidade de votos"), opto pelo Nulo. Ofereci pelas redes sociais e encontros com correligionários das duas campanhas oportunidades inúmeras para mudar minha opção, mas o que encontrei foi o fácil e indigno silêncio dos individualistas ou a grosseira e truculenta resposta dos  fanáticos. 

Heroldo Secco Junior – Empresário
Enviada por: Dacio Borges
Postada em 24/09/2012
 "Entendemos a ira de diversas pessoas sobre obras e divisões de valores etc.. mas pensar em criar um novo país a partir do sul parece até interessaante mas a pessoa não ignorar o seguinte: de cada R$ 100,00 que existe no pais R$ 50,00 (50%) pertencem ao estado de São Paulo, R$ 30,00 (30%) divididos entre Rioe Bahia e R$ 20,00 (20%) sobram para serem divididos entre 23 estados e o sul está incluso nesse percentual.. isso é matematica e fonte do IBGE, podcemos até não gostar mas essa é a realidade.
  A cidade de São Paulo é maior que a Argentina toda e maior que os três estados do sul, se somarmos a grande São Paulo junto ficaria maior que a Argentina e os tres estados do Sul. A agricultura ficaria fortemente dependcente de produtos importados pois a base dos produtos quimicos para o adubo e até o sal de cozinhar vem do nordeste renegado em versa e prosa por muitos sulistas, que particularmente acho um absurdo. Hoje tudo que produzimos no sul e largamente consumido no Nordeste que está crescendo mais do que a China, segundo a Veja.... enfim acho uma tremenda bobagem e temos que ter em mente que a republica federativa nada mais é do que o primo rico cuidando do primo pobre..."
Enviada por: José Rocha
Postada em 17/09/2012
 Olá Amigo Jairo.
Esse tom, rebuscado de informações, é que tem feito do Pitoco um grande informativo. Neste,(14/09) vc  realmente revirou o baú e nos trouxe "Herbert Taylor! e "Oscar Wilde".  Importante a nós leitores é dizer a nós mesmos: ....Como é que eu não havia pensado nisso antes???...As ligações que vc consegue fazer entre o contexto  e a realidade,  continuam sendo bem recebidas por todos nós.
Abraço.  José Rocha - Vera Cruz do Oeste.
 
 
 
Enviada por: Benedito Tuponni
Postada em 16/08/2012
Prezado jairo
 
boa tarde
 
temos um trabalho junto à PIC no sábado à tarde e fiquei indignado com  a "iniciativa"  da "inteligência parda" que isolou a as duas pistas da BR 277 (não sei para quê), em prejuizo dos usuários normais da mesma, jogando-nos para as laterais empoirentas da mesma. Comíamos poeira pelas laterais, enquanto víamos as duas pistas da BR  totalmente  livres. Vamos nos respeitar meus senhores e senhoras. Eu como muitos outros não temos nada contra com quem goste e queira participar daquele programa de índio, porém a BR é de uso comum a todos.
 
Jairo, outra coisinha, na notícia sobre o Eron Zeni, no acontece, será que a separação da sílaba (Im-ages) ficou correta?
 
ficai com DEUS
 
abs
 
 
tupomi, benedito
 
 
Enviada por: Luciano
Postada em 12/07/2012
O que nós e a PF aprendemos com a cassação do demóstenes... temos mais 24 (19 contra e 5 abstenções) BOM MOTIVOS para continuar com a INVESTIGAÇÃO.

Luciano 
Enviada por: Vanusa Weber.
Postada em 29/05/2012
 Parabéns assistentes sociais! Parabéns, sobretudo, a nós acadêmicos, assistentes sociais em potencial da unioeste campus Toledo. Oportuna e convenientemente largo algumas deixas: Se me perguntarem se estou feliz com a realidade do serviço social a qual me encontro inserida, nego. Se me torturarem, nego sob tortura. Peço a Deus que me livre de todo o mal na grande parcela dos dias que o celular desperta as 6:50 da manhã e necessito (necessidade e não livre arbítrio) ir à universidade. Às vezes prefiro dormir, a fingir que presto atenção na aula enquanto certos professores fingem que estão a dando. Às vezes canso de ser procrastinada, tendo construções aproximativas deixadas de ler e se atribuir própria nota, atrasar dez minutos, ganhar falta e me encontrar conivente com docentes que simplesmente esquecem que têm aula certas manhãs, ou mesmo, cientes, não comparecem. Somos então pois, pouco dignos de recebê-los? 
 
É essa a profissão de caráter sócio-político, crítico, interventivo, SOBRETUDO, emancipatório que temos? É nesta universidade PÚBLICA, de espaço para a crítica e a intervenção dos discentes que presenciamos? To pensando em sugerir modificações no nosso dicionário. Na verdade, sendo bem sincera, to mais pra pato e os docentes pra caçadores. É neste dia lindo que comemoro o grande desapreço do espaço acadêmico. 
 
Sopro velas pela humilhação sofrida, ao me pedirem para serem poupados de minhas mais sinceras “mentiras”. Congratulo a realidade das cartas marcadas. Parabenizo o fato de ser obrigada a babar nos ovos de vós pra que não tenha que ficar mais um ano por aqui. Mando flores ao que me fazem chorar nos corredores da universidade, e chocolates aos que fingem que tudo são flores! 
 
Mas os fogos; a... esses eu deixo pra soltar no dia em que tiver a certeza de que não precisarei mais colocar os pés nessas terras que hão de comê-los.
 
Vanusa Weber, acadêmica do quarto ano de serviço social da Unioeste campus Toledo.
 
 
 
 
Enviada por: Luiz Carlos Marcon.
Postada em 13/03/2012
 Marlise foi vereadora junto com meu pai.
 Na época 1977-1982, eu estava servindo o exército em Foz do Iguacú (1977) e depois fui estudar em Bandeirantes (1978-1981) No ano de 1982 eu trabalhava na Cooperativa Consolota - Copacol.  Portanto nâo morava em Cascavel.
Naquela época a Câmara tinha cinco funcionários e uma variant que só os funcionários usavam. A Câmara que eu saiba não tinha caminhâo porcadeiro. Quem dirigia o veículo era o Itacir Gonzatto, ainda hoje funcionário da Câmara. Nenhum vereador usava o bólido.
Meu pai e digo isso com tremendo orgulho, foi um dos políticos mais decentes da história de Cascavel. Até hoje as pessoas do interior referenciam o nome dele. Foi ele que organizou junto com a Copel a eletrificacâo rural de todo o municipio. Andava pelo interior tudo as suas expensas.
Pelas ofensas que assacou, principalmente contra meu pai, a mulher pública Marlise da Cruz será processada pelas infamias que disse.
 
 É isso!
 
 
Luiz Carlos Marcon.