Cascavel, Quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Leia mais

Receita cresce R$ 30,8 mi

Lixo é superavitário no primeiro semestre

A secretaria de Finanças da Prefeitura de Cascavel, fechou, na última terça-feira, um balanço do primeiro semestre de 2018. Entre janeiro e junho deste ano, a receita foi R$ 433,5 milhões, 7,66% mais que igual período do ano passado.
Na contramão da maioria de estados e municípios, a receita cresceu R$ 30,8 milhões. Em valores absolutos, foi importante para o desempenho a receita de R$ 54,5 milhões obtida com IPVA (R$ 2,5 milhões a mais que no primeiro semestre de 2017), e do IPTU, que na mesma comparação resultou em R$ 5 milhões adicionais este ano, para R$ 37,7 milhões.
Já nos tributos mais vinculados ao desempenho da economia nacional, como ICMS e ISS, houve queda de receita. De outro lado, o termômetro do mercado imobiliário, o ITBI, registrou crescimento de R$ 11,8 milhões para R$ 13 milhões.
O curioso é que a taxa de coleta de lixo foi de R$ 16,9 milhões para R$ 18,7 milhões. No mesmo período, a Prefeitura pagou no contrato de coleta de lixo R$ 16,8 milhões.
Quer dizer então que a operação lixo é superavitária? Não, receitas como IPTU, IPVA e taxa de lixo estão concentradas na primeira metade do ano.  Na segunda metade, o contrato continua rendendo R$ 2,8 milhões e a receita com a taxa quase desaparece.
No fim das contas a maior evolução na receita veio da dívida ativa, composta majoritariamente de débitos antigos, alguns deles tidos como perdidos. O refinanciamento (Refic) deste ano “cavocou” estes débitos. Foram arrecadados R$ 14,3 milhões com o estímulo, 74,6% a mais que igual período do ano passado.