Cascavel, Sexta-feira, 20 de julho de 2018

Leia mais

Elite promove releitura de obras consagradas

Mais que um resultado no vestibular - projetos educacionais têm como propósito a formação do cidadão

Os resultados dos seus alunos no vestibular são primordiais para as escolas. Mas só isso não basta, sobretudo nos dias de hoje em que vivemos uma crise ética no Brasil. A preocupação com a formação do cidadão e sua visão crítica sob os aspectos sociais, políticos e econômicos viraram palavras de ordem. Atento a essas questões, o Elite Rede de Ensino investe em projetos que têm como propósito a formação do cidadão em uma era em que somos bombardeados de todos os tipos de informações.

Potencialidades através da arte

O projeto Vernissage consiste em uma mostra cultural feita por alunos do sexto, sétimo e oitavo anos, a partir de releituras de obras consagradas. O objetivo é valorizar as potencialidades através da arte. As turmas recebem um determinado tema, discutem em sala e têm como tarefa enxergar o tema dentro da arte. Os estudantes elaboram a mostra cultural com pinturas, esculturas, mosaicos e vitrais.

Os temas do Vernissage 2018 foram divididos da seguinte maneira: sexto ano (técnica: Pintura e Escultura, tema: Releitura do cotidiano atual com técnica rupestre - pré-história), sétimo ano (técnica: Pintura em tela, tema: Releitura da Pintura de Luis XIV – Absolutismo) e oitavo ano (técnica: Pintura em 3D, tema: Tarsila do Amaral – Movimento Modernista).

Ajuda às instituições de caridades

Após produzidas, as obras são exibidas em uma exposição no colégio e colocadas a leilão. A quantia arrecadada é doada às instituições de caridades. Esse ano, as doações foram destinas à uma casa que cuida de idosos em situação de risco com direito a atividades elaboradas pelos alunos. Jogos de cartas, dama, pintura e dança estiveram no roteiro.

“Os alunos têm se envolvido bastante com o projeto. Eles não encaram o Vernissage apenas como uma tarefa a ser cumprida, vai muito além. Um exemplo bem emblemático é o do sexto ano. Eles estudaram como os homens das cavernas precisavam se esforçar para buscar os alimentos. E traçaram um paralelo de como, hoje, ter o alimento nas mãos deixa muitas pessoas acomodadas e com pouca gratidão pelo que possui”, conta Sonia Mello, diretora pedagógica do Elite Rede de Ensino.

A cada ano, os pais e familiares também se animam ainda mais e já cobram a edição do ano seguinte. “É muito legal os familiares observarem o amadurecimento e o crescimento do aluno como cidadão. Além de adquirirem conhecimentos, os estudantes aprendem a trabalhar em grupo e um ajuda ao outro”, destaca Sonia.