Cascavel, Sábado, 22 de setembro de 2018

Leia mais

No guardanapo da Varig

Entenda como surgiram os primeiros traços do Show Rural

Após longo namoro, típico de meganegócios, as transnacionais Dow e Dupont uniram as escovas de dentes. Uma fusão desta dimensão, precisa ser anunciada para a América do Sul.
Então os gringos escolheram data e local para comunicar oficialmente a união: Cascavel, interior do Paraná, dia 5 de fevereiro, às 14 horas, no Show Rural.
O “casório” das multis tem muitos convidados: 50 jornalistas especializados em agronegócio de mais de 20 países, 105 executivos da Dow e da Dupont, 140 diretores e gerentes de todas as Américas, incluindo a “first”, aquela colocada em primeiro lugar pelo Trump.
A imensa caravana, composta de “padrinhos” do casório de gente muita rica, está hospeda em Foz do Iguaçu, já que nas imediações de Cascavel todos os leitos estão ocupados.
Portanto, na manhã de segunda, o aeroporto da cidade e a BR 277 entre Foz e Cascavel estarão muito ocupados. Os “chapeludos” do bolso forrado estão chegando para a maior de todas as edições do Show Rural.
Presente ao Café com Pitoco da última quarta-feira, no Hotel Bourbon, o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, explicou como nasceu o evento escolhido pelas gigantes para trocar anéis.
“Era 1988, estávamos, eu e o Rogério Rizzardi, na maior feira de máquinas agrícolas do planeta, a Farm Progress Show, nos Estados Unidos. Olhamos para aquilo tudo e concluímos: é isso aqui, vamos sair do trivial, do dia de campo, da feira agropecuária e vamos partir para um evento grandioso, pautado na tecnologia”.
Grolli então relatou o passo seguinte: “dentro do avião da Varig, no voo de retorno, desenhei o Show Rural em um guardanapo de papel”.
A conjuntura econômica da época, anos 80, também conhecida como “década perdida”, trazia um cenário de terra arrasada no Oeste do Paraná. Êxodo rural, pequenas propriedades inviabilizadas, baixa produtividade, “um sofrimento desgraçado”, como definiu Grolli.
Então surgiu o Show Rural, apoiado nos princípios do cooperativismo, na busca urgente da diversificação no portfólio do produtor e nos ganhos de produtividade pela tecnologia. Tudo para enterrar a década perdida.
Deu certo? Funcionou? Melhor transmitir esta pergunta para os “gringos” que decidiram celebrar o casório da Dow com a Dupont em Cascavel, interior do Paraná...

Editorial

Já foram os belos jardins, os espelhos d'agua, as máquinas imensas as principais atrações do Show Rural. Este ano, tem que olhar para cima e ver. Todas as comitivas serão apresentadas para o maior sistema de energia solar do Paraná, com 468 placas fotovoltaicas e R$ 1,5 milhão de investimento. No estande da Itaipu, o Zoe, carro elétrico da Renault, será abastecido com o sol, fechando o ciclo da sustentabilidade. Sol é agro. Agro é tech, agro é pop, a indústria-riqueza do Brasil... plim-plim.