Cascavel, Quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Leia mais

Salto cooperativo

Cooperjovem, da Fundação Sicoob, traz a cooperação como um exercício transformador

Com o suporte de uma metodologia vencedora, o Cooperjovem desembarca em Cascavel pelas mãos da Fundação Sicoob, um dos mais bem-sucedidos modelos de cooperação econômica da história brasileira. Desde julho, os 33 colaboradores da escola do distrito de Rio do Salto submergem em um oceano de novas possibilidades. Os 22 professores aprimoram seu arsenal de argumentos em contato com uma metodologia já exaustivamente aprimorada.

Duzentos e oito alunos, do pré-escolar ao quinto ano do ensino fundamental, recuperam algumas atitudes que pareciam perdidas. Por meio do Cooperjovem, aprendem o valor do todo e enxergam no professor um aliado para descobertas. O respeito é moeda forte, o planejamento um passaporte para segurança e autonomia na gestão financeira e o empreendedorismo um caminho para o sucesso profissional.

A comunidade escolar também participa de ações sociais e de sustentabilidade. A diretora da escola do Rio do Salto, Simone Dalamaria Miliorança, informa que mesmo recente o programa traz mudanças profundas no ambiente educacional.

Duas atitudes evidenciam a preocupação dos alunos, professores e colaboradores da escola com o seu entorno. O lacre de alumínio de latas de cerveja e refrigerante tem seu significado renovado. Eles são acondicionados em garrafas pet e, entregues a entidades assistenciais, viram cadeiras de roda a pessoas com limitações motoras.

O lixo produzido no ambiente escolar passou a ser acondicionado em tonéis. Separado por categoria, os recicláveis são comercializados e o dinheiro é investido em brinquedos e jogos educativos. Eles viram aliados e fonte de integração nos intervalos das aulas e recreio.

A força do trabalho conjunto
O Cooperjovem é um programa nacional patrocinado pelo Instituto Sicoob, que entra com a metodologia e facilita o acesso aos recursos para a disseminação dos conceitos da cooperação. O diretor presidente do Sicoob Credicapital, Valdir Pacini, diz que o programa gera marcas intensas onde é desenvolvido: “Mais do que ensinar a compartilhar, ele mostra para as pessoas a força e o valor da união. Do trabalho conjunto, do planejamento e da busca por oportunidades e qualidade de vida”.

A cooperação, em todas as suas vertentes, é o futuro não apenas de uma comunidade, mas de regiões, estados e países. É o que pensa o professor, advogado e escritor Nailor Marques Junior, que falou sobre Educação e inteligência durante a palestra inaugural do Cooperjovem em Rio do Salto.

Uma das mais importantes contribuições dessa forma de interação está em criar ambiente propício à migração do conhecimento.

“A troca de saberes é fundamental e dá vazão à escola em um contexto amplo e tradicional. Mesmo que as tecnologias avancem, matemática sempre será matemática. O que muda é que os alunos têm mais acesso à informação, mas o que transforma o mundo é o conhecimento e não a informação”, conforme Nailor.

O Google é a nova Barsa. Ele só responde a perguntas, por isso o desafio da escola é ensinar o aluno a fazer os questionamentos certos, a formular boas perguntas. É fundamental saber o que, onde e como procurar. A escola, e por isso ela jamais será substituída, prepara as gerações a lidar com o mundo.

Por Jean Paterno